Como se comunicar com o seu gatinho Scottish Fold ou British Shorthair

Agora que você tem seu gatinho Scottish Fold ou British Shorthair em casa, é tempo de curtir e conhecer um pouco mais o seu novo companheiro.

Neste sentido este artigo nos mostra como e comunicar melhor com nosso gatinho Scottish Fold ou British Shorthair.


Os cientistas descobriram que os gatos desenvolveram um sistema de comunicação elaborado, com centenas de vocalizações para dizer aos humanos o que eles querem ou precisam.[1] Compreender como seu gato está se comunicando com você e como os gatos interpretam a comunicação humana pode ajudar a cultivar uma relação mais refinada com seu companheiro felino. [2]

Ouvindo o seu gato

1. Entenda como e por quê os gatos se comunicam.

Vocalizar geralmente não é o modo preferido deles. A “primeira língua” de um gato consiste num sistema complexo de olfato, expressão facial, linguagem corporal elaborada e tato. Os gatos logo percebem que não compreendemos os sinais não verbais que eles mandam uns aos outros e por isso vocalizam, numa tentativa de se comunicar na nossa língua. Observando os sons e as ações que eles causam em nós, um gato está sempre aprendendo como fazer pedidos ou exigências

2. Observe as circunstâncias do miado.

Se observar seu gato enquanto ele mia, será capaz de distinguir quais sons estão associados a quais pedidos (ou protestos).[4]Embora barulhos específicos possam variar de um gato para outro, há certos tipos que estão comumente associados com emoções felinas distintas.

• Muitos miados indicam cumprimentos entusiasmados. Se tiver ficado fora por um período de tempo maior do que o usual, pode notar um cumprimento mais enfático com mais miados.
• Um miado de tom médio pode indicar um pedido por algo como comida ou água.
• Um “mrrroooow” mais longo e arrastado é uma demanda mais insistente por um desejo ou necessidade.
• Um “MRRRooooowww” mais grave indica uma reclamação, descontentamento ou uma preparação para a briga.
• Um miado alto e mais grave do que o médio muitas vezes indica um pedido mais urgente por algo como comida.

3. Identifique formas comuns de comunicação felina que não envolvem miados.

Embora o miado seja o som que mais associamos à vocalização dos gatos, eles fazem outros ruídos comuns também.[5]

• O ronrono, um som vibratório feito com a garganta, convida ao contato próximo ou à atenção. Embora os gatos possam ronronar por diversas razões, esse som está mais associado a contentamento fácil.
• Sibilar é o sinal mais claro de agressividade ou autodefesa de um felino. Esse som indica que o animal está muito infeliz, sente-se assustado ou ameaçado ou ainda está brigando ou se preparando para uma briga.

4. Perceba outras vocalizações especializadas.

Embora outros tipos possam ser mais raros do que miar, sibilar e ronronar, compreendê-los pode ajudar você a interpretar mais plenamente as comunicações do seu gato.[6]

• Bater os dentes pode ser sinal de agitação, ansiedade ou frustração.
• Um chilreio, uma mistura de miado com ronrono com modulação crescente, é um som de cumprimento amigável geralmente usado pela mãe gato para chamar seus filhotes.
• Um uivo alto ou som de “reeeowww” pode indicar dor súbita, como quando você pisa por acidente na cauda do seu gato.

Lendo a linguagem corporal dos gatos

5. Observe a cauda. Assim como os cães, os gatos se comunicam com o posicionamento e o movimento das caudas.[7]

Saber os sinais da posição da cauda em conjunto com as vocalizações pode ajudar você a entender as necessidades e os desejos do seu gato. Algumas posições comuns incluem:

• Cauda reta para cima com uma curva na ponta: indica felicidade.
• Cauda se contraindo: seu gato está agitado ou ansioso.
• O pelo da cauda se esticando ou ficando armado: seu gato está agitado ou se sente ameaçado.
• Cauda vibrando: o gato está muito animado e feliz por vê-lo.
• O pelo esticado para cima enquanto a cauda se curva em formato de N: esse é um sinal de agressividade extrema, e pode estar presente durante brigas ou autodefesa.
• O pelo se estica para cima, mas a cauda é mantida baixa: seu gato está agressivo ou assustado.
• Cauda para baixo, enfiada sob o traseiro: seu gato está assustado.

6. Olhe para os olhos dele.
Isso pode ajudar a se conectar com o felino e a ler os sentimentos dele. Saiba, no entanto, que encarar direto sem piscar pode ser interpretado como uma posição de agressividade que deixará seu gato desconfortável.

• Se as pupilas estiverem dilatadas, seu gato ou está muito brincalhão e animado ou com medo e agressivo. Use outros sinais para determinar qual é o certo.[8]
• Um gato que olha para os seus olhos indica que confia em você e se sente confortável na sua companhia.
• Um gato que pisca lentamente pode estar demonstrando carinho e indicando que está confortável com quem está ao seu lado.

7. Observe outros sinais corporais.

Como os gatos são mais “fluentes” que os humanos na linguagem corporal, alguns gestos acompanharão vocalizações para reforçar a mensagem deles.

• Um gato que levanta o nariz e inclina levemente a cabeça para trás está dizendo “Eu reconheço você”. Gatos sentados em janelas podem cumprimentá-lo assim quando passar.
• Um gato pode deitar as orelhas para trás se sentir medo, ansiedade ou se quiser brincar. Esse gesto também pode ser visto quando ele está cheirando com cuidado algo que quer conhecer melhor.
• Um gato que põe a língua para fora e lambe o lábio inferior rapidamente está mostrando que está preocupado ou apreensivo.

8. Identifique comportamentos comunicativos.

Parte da comunicação de um gato é baseada em como ele se comporta próximo a você, enquanto alguns comportamentos têm significado constante entre a maioria dos bichanos.[9]

• Um gato que se esfrega em você está marcando-o como propriedade dele.
• Um “beijo” com o nariz molhado é um gesto de afeição no qual o gato encosta o nariz em você. Isso significa que ele gosta de você e se sente confortável ao seu lado.
• Um gato que esfrega a cabeça, o flanco e a cauda em outra pessoa ou animal está cumprimentando-o.
• Dar uma cabeçada amigável é um sinal de afeição.
• Os gatos cheiram o rosto de uma pessoa para confirmar a identidade dela com base na familiaridade do cheiro.
• Um gato baterá ritmicamente com as patas alternadas como sinal de alegria, contentamento ou vontade de brincar. Esse gesto indica que ele conhece e confia em você.
• Um gato que te lambe está mostrando o maior sinal de confiança. Ele pode considerá-lo parte da família, como uma mãe que limpa seus filhotes.
• Se ele tentar comer seu cabelo, pode estar tentando “cuidar” de você. Isso significa que ele o ama e confia em você de verdade.
• Alguns gatos demonstram o amor que sentem copiando o que você fizer. Pode testar isso fingindo-se de morto no chão. O gato pode cheirá-lo ou cutucá-lo e depois fingir de morto também.
• Se o gato morder você de leve, está avisando para deixá-lo sozinho.

Comunicando-se com seu gato

9. Converse com ele.

Os gatos estão sempre aprendendo como se comunicar conosco. Quanto mais você se comunicar com o seu, mais rápido ele vai aprender.[10]

• Use um tom de voz um pouco mais elevado para indicar amizade e um mais grave para descontentamento ou agressividade.[11]
• A repetição ensinará seu gato a antecipar atividades consistentes. Você pode repetir uma palavra como dormir ou cama toda vez que for dormir. Com o tempo, o bichano começará a associar o som repetido com o ato e pode até chegar ao quarto antes de você.

10. Use dicas de comunicação não verbal.

Os gatos podem ser treinados para entenderem palavras, mas pegarão dicas não verbais instintivamente. Criar um ambiente caloroso com expectativas claras e poucas surpresas pode ajudar a fortalecer seu laço inicial com um gato novo.

• Se piscar devagar enquanto faz contato visual com seu gato, ele vai responder vindo para ser acariciado. Esse gesto é visto como não ameaçador.
• Tente não olhar diretamente para os olhos de um gato. Isso indica que você não é amigável ou que é agressivo.[12]
• Se seu gato quiser ir a algum lugar, como ficar ao seu lado no sofá, mas parecer não saber se pode, bata de leve no espaço e use uma voz macia e tranquilizadora para convidá-lo a se juntar a você.
• Seja consistente com suas intenções e expressões. Um erro muito comum que os donos cometem é dizer “não” e fazer carinho no gato ao mesmo tempo. Isso é muito confuso para o animal. Por exemplo, se quiser que seu gato saia de perto, dizer “depois” com firmeza e empurrá-lo de leve sem demonstrar afeição fará com que ele saiba que sua presença não é desejada naquele momento. A maioria dos gatos tentará duas ou três vezes invadir o espaço de uma pessoa, muitas vezes vindo de direções diferentes. Por isso, seja paciente ao dizer “depois”.
• Nunca grite com um gato ou tente discipliná-lo fisicamente. Isso só o assusta e o deixa bravo, além de ser contraprodutivo. Em vez disso, para demonstrar insatisfação, você pode adicionar dureza a sua voz. O gato perceberá isso e sentirá o descontentamento.[13]

11. Dê comandos a seu gato.

Ser consistente com as palavras, o tom e outros sinais enquanto treina o animal vai ajudar vocês dois a concordarem e a entenderem expectativas claras.[14]

• Desenvolva uma voz de comando para usar quando ele estiver fazendo algo que você considere errado. Use uma voz que venha naturalmente a você e que possa ser repetida facilmente, mas que ao mesmo tempo seja distinta daquela com que fala todo dia. Se usar essa voz poucas vezes, mas com seriedade, o gato aprenderá a associá-la com a ideia de que está desagradando você.
• Faça um silvo curto e rápido ou um som de cuspida como um “não”. Esse barulho é similar ao que é feito como correção ou aviso na “linguagem dos gatos”, e seu uso pode comunicar suas intenções com mais clareza ao bichano.
• Com paciência, os gatos podem ser treinados para responder aos comandos como os cachorros. Você pode até ensinar o seu a apertar as mãos.

Dicas

• Se tiver um gato meio rabugento, fale com ele de forma branda e tente se conectar com ele todo dia, se puder. Isso pode ser feito escovando-o, dando comida ou brincando com ele.
• Alguns gatos gostam de carinho na barriga, embora a maioria deles tenha medo de expor o lado mais vulnerável. Supere esse medo devagar e com paciência. Os gatos costumam proteger menos o peito do que a barriga. Faça carinho nessa região um pouquinho por dia, mas pare se sentir que o felino está ficando tenso. Ele vai aos poucos confiar em você para fazer carinho nele. Essa abordagem funciona melhor se você começar quando o gato for bem novo.
• Trate seu gato com amor e respeito e ele se tornará um companheiro muito feliz e carinhoso.
• Os gatos siameses e de outras raças orientais têm sido vistos como especialmente vocais, enquanto os de raças com pelos mais longos costumam ser mais quietos.[15] Claro que sempre há exceções.
• Quando um gato ronrona, isso nem sempre significa que ele está feliz. Pode estar com dor ou com medo.
• Sentar-se de pernas cruzadas no chão e olhar para um gato é uma forma de dar boas-vindas a ele, de forma que ele pode vir pedir carinho.
• Ao colocar seu gato no chão, tente garantir que as patas dele estejam em contato com o solo antes de soltá-lo. Isso permitirá que ele se sinta seguro com você, de forma que possa contar contigo para não deixá-lo inseguro e não tenha que se ajustar de súbito para pular para fora dos seus braços. Se isso for feito com consistência durante a vida do gato, pode evitar lesões quando ele for mais velho e mais propenso a elas.
• Se tiver um Devon Rex, brinque bastante com ele, pois essa raça é muito brincalhona

Avisos

• Urinar e depositar fezes em locais destacados são muitas vezes a tentativa de um gato de marcar território que ele sente estar ameaçado por outro animal. Também pode ser um indicador de infecção do trato urinário ou de outros problemas de saúde sérios. Se esse for o caso, o gato pode precisar de tratamento ou de isolamento dos outros gatos. Consulte o veterinário.
• Segure o gato com cuidado, mas não com força ao pegá-lo. Segurar com muita força pode ser visto como um sinal de agressividade, e você pode acabar arranhado e machucado.
• Todos os gatos devem ser castrados logo que tiverem idade suficiente, de modo a evitar problemas de comportamento e gatinhos indesejados. Os machos, em particular, devem ser castrados antes de chegar à maturidade sexual para que o hábito de marcar território com a urina não se torne enraizado.

Fontes e Citações

1. http://www.news.cornell.edu/releases/May02/cat_talk.hrs.html
2. http://www.messybeast.com/cat_talk.htm
3. http://www.petcentric.com/article.aspx?C=1&OID=61&CMP=EMC-PETC-September06news
4. http://www.petcentric.com/article.aspx?C=1&OID=61&CMP=EMC-PETC-September06news
5. http://www.humanesociety.org/animals/cats/tips/cat_communication.html
6. http://www.humanesociety.org/animals/cats/tips/cat_communication.html
7. http://www.humanesociety.org/animals/cats/tips/cat_communication.html
8. http://pets.webmd.com/cats/features/cat-body-language?page=2
9. http://www.humanesociety.org/animals/cats/tips/cat_communication.html
10. http://www.messybeast.com/cat_talk.htm
11. http://www.messybeast.com/cat_talk.htm
12. http://pets.webmd.com/cats/features/cat-body-language?page=2
13. https://www.aspca.org/pet-care/virtual-pet-behaviorist/cat-behavior/training-your-cat
14. https://www.aspca.org/pet-care/virtual-pet-behaviorist/cat-behavior/training-your-cat
15. http://www.messybeast.com/cat_talk.htm

Sobre este artigo

• Fonte: WikiHow
• Autores: Mindwin, Rafabemerguy, Silvia Prudente da Silva, Sabrina L. Furtado, Maluniu, Susan Wiki, Revisões wikiHow

Cuide Bem do Seu Gatinho Scottish Fold

Os gatos de raça, especialmente os British Shorthair e os Scottish Fold, são companheiros maravilhosos, diferenciados, com personalidade própria marcante e, por natureza, possuidores de excelentes hábitos de higiene e alimentação.

Estas características se bem respeitadas e cuidadas pelos seus companheiros humanos, transforma esta convivência em momentos de muita alegria e satisfação.

Para contribuir neste processo, compartilhamos a seguir algumas dicas de como cuidar bem do seu gatinho.

A higiene do gatinho filhote

Os gatos são animais que adoram manterem-se limpos. Eles normalmente se ocupam boa parte do tempo nesta tarefa, principalmente quando são cuidados e foram educados para isto, dentro de ambientes adequados.

No começo de vida, é a mãe que limpa os filhotes, lambendo-os inteiros. Depois, ele aprende a fazer o mesmo a medida que o seu pelo fica mais denso. Nos lugares em que o gatinho não alcança, ele utiliza as patas dianteiras como esfregão.

O gato passa cerca de três horas e meia do dia cuidando de sua higiene. Sua língua áspera tira a secreção das glândulas sebáceas de seu corpo de forma muito prática e higiênica.

Quando o gatinho é muito pequeno, talvez ele possa encontrar alguma dificuldade para se limpar. Assim, é a oportunidade para você, além de ajudá-lo na sua higiene, criar laços ainda mais gratificantes. Aproveite estes momentos com ele.

O Pelo

Como os gatos são animais naturalmente limpos, eles não precisarão de muita ajuda, especialmente se tiverem pelo curto, como os British Shorthair. Gatos de pelos longos, com os Persas ou os Longhair no entanto, devem ser penteados regularmente, geralmente uma vez por dia. Se o seu gato se acostumou a receber cuidados com o seu pelo desde cedo, você ao continuar com esta atenção vai ver que ele aprecia muito estes momentos. O gatinho chega a ronronar quando escovado porque está sendo acariciado.

O grooming, ou escovação dos pelos do gato, é uma prática muito gostosa, que além de construir a confiança entre você e o seu gatinho, também é importante para a saúde dele. Os pelos e a pele protegem o corpo, e por isso devem ser bem cuidados.

Fazendo o grooming

Para realizar o grooming, sugere-se os seguintes passos:
– Reserve um tempo sem pressa para esta atividade, pelo menos uma vez por semana – este é um momento de carinho e tranquilidade;
– Coloque o seu gato delicadamente sobre uma superfície plana, confortável para você e para ele, e que pode ser facilmente limpa depois;
– Escove delicadamente com um pente fino ou escova própria, sempre no sentido do pelo;
– Use um pincel para remover o cabelo solto de sua pele;
– Dê carinho e converse com o seu gatinho entre uma penteada e outra;
– Termine a limpeza com um pano de algodão.
Lembre-se: nunca deixe os pelos emaranhados e também nunca raspe o seu gatinho.

Por fim, preste atenção também na sua pele, se aparecerem erupções cutâneas ou outros machucado na pele, leve-o ao veterinário porque pode ser sinal de doença.

Os Olhos e Ouvidos

Após a escovação, certifique-se que os olhos e os ouvidos do gatinho estão limpos, claros e livres de secreções. Para a limpeza dos olhinhos use um algodão umedecido. Quanto aos ouvidos, limpe apenas a superfície com um papel higiênico ou cotonete, mas não vá mais fundo para não machucar o seu filhote.

Bocas e dentes

Verifique sempre a boca do seu gatinho para ver se os dentes estão limpos. Faça isto segurando delicada mas firmemente sua boca com as duas mãos. A gengiva deve ser saudável e ter uma cor rosa. De forma geral, se a tigela e a comida servida é mantida limpa e há sempre água fresca disponível, a boca e os dentes se manterão sempre em boas condições. As razões de boa qualidade tem forma e fórmula especiais para manterem a saúde deles neste aspecto. Caso tenha dúvida, pergunte ao veterinário sobre os cuidados dentários necessários e seus respectivos produtos. Existem escovas especiais para esta finalidade.

As Garras

As garras são muito importantes para os gatos. Além de ser um mecanismo de defesa, ajudam eles a se apoiar e escalar. Apenas em animais muito velhos e com sobrepeso que é necessário a remoção das garras. Naturalmente os gatinhos procura superfícies para arranhar. Neste sentido, é fundamental colocar a disposição dele um poste arranhador, antes que eles adotem outra superfície da casa para isto. Um poste arranhador ajuda os gatinhos a gastarem suas garras pra não ficarem muito grandes. Você também pode levá-lo ao veterinário para cortar as unhas.

Tigelas, Vasilhas e Pratos

Lembre-se. gatos gostam de limpeza, ainda mais tigelas, vasilhas e pratos onde estão servidos seus alimentos e água. Os gatos podem recusar a comida se as suas tigelas não tiverem suficientemente limpas. O ideal é sempre e regularmente lavá-las com água limpa.

Lugar para dormir

Os gatos escolhem o lugar em que vão dormir. Não há regra, mas você pode oferecer opções como caminhas aconchegantes, almofadas, etc. Alguns podem preferir as “toquinhas” da casa, outros lugares mais altos. Lembre-se que na natureza, os gatos escolhem lugares mais discretos, seguros e reservados para descansarem ou dormirem.

A Caixa de Areia

Por natureza, os gatos gostam de lugares adequados para fazerem as suas necessidades. Assim, utilizar a caixa de areia normalmente é uma questão simples ou básica. Os gatinhos bem criados aprendem com a mãe como usar a caixa de areia. Se o seu gato não teve essa oportunidade ou apresenta alguma dificuldade neste assunto, você pode ajudá-lo. Depois de comer, o gato sente necessidade de usar a caixa de areia, essa é a hora perfeita para colocá-lo no lugar correto.
Entre as refeições, observe o comportamento do bichano. Se ele se agachar em um canto, por exemplo, pegue o filhote e coloque na caixa de areia. Ele vai aprender rapidamente.

Dicas para a caixa de areia:
– colocar a caixa de areia longe das tigelas de água e comida;
– colocar em um lugar tranquilo e fácil de limpar;
– limpar a caixa de areia regularmente (gatos não usam a caixa de areia se estiver muito suja);
– retire regularmente, de preferência ao menos uma vez ao dia, as fezes e as bolas de areia com urina. Para isto utilize de pazinhas adequadas;
– mantenha o nível da caixa de areia com pelo menos dois centímetros de areia;
– lembre-se de usar luvas de borracha ao manusear estes materiais e também para lavar a caixa com água e sabão.

Caso o gato faça suas necessidades no lugar errado, como o tapete, não ainda repreende-lo ou ficar irritado. Limpe imediatamente para que não fique cheiro e ele não torne a fazer no mesmo lugar novamente. Não utilize qualquer produto de limpeza, amoníaco ou vinagre, o gatinho pode se lembrar do cheiro de urina e fazer ali novamente. Verifique novamente se a caixa de areia esta disponível adequadamente.

Existem diversas variedades de caixas de areia disponíveis no mercado. Não importa qual que você usa, desde que a areia seja absorvente e limpa. Alguns tipos estão misturados com fragrâncias para manter o cheiro da caixa de areia o mais fraco possível.
Reforçaos: os gatos não gostam de banheiros sujos. Remova as fezes e a areia com urina pelo menos uma vez ao dia, e limpe a caixa com água e sabão pelo menos uma vez por semana.
Para lavar a caixa de areia, não utilize nenhum desinfetante que possa ser tóxico aos gatinhos ou que tenham um cheiro tão forte que os faça preferir o tapete da sala.

Os gatos deixam sua marca

Gatos não castrados marcam seu território, muitas vezes pulverizando secreções com a urina, cujo cheiro é muito marcante. Machos e fêmeas castrados não apresentam esse tipo de problema porque o cheiro de sua urina diminui. Embora esta marca é um comportamento absolutamente normal para os gatos, o proprietário do gato não deve aceitar se isso acontecer dentro da casa.

A marcação de território pode ser um problema particular quando o gato tentar definir a sua posição em uma casa com vários gatos. Se você não optar pela castração, converse com seu veterinário sobre um outro tipo de tratamento.

Treinamento para o toalete

Se o seu gato de repente torna-se sujo, certamente aconteceu alguma coisa. Talvez ele sentiu dor no banheiro ou ficou assustado devido a algum ruído. Se forem usados permanentemente os lugares errados, você pode encontrar as seguintes dicas para resolver o problema:
– Deixe ou veterinário examinar o gato;.
– Certifique-se que a caixa de areia está limpa, mas cuidado porque alguns gatos não gostam do cheiro de desinfetantes fortes;
– A caixa de areia deve estar em um lugar tranquilo, imperturbável e não pode ser perto do local de alimentação;
– Certifique-se que a caixa de areia é grande o suficiente para o gato;
– As altura da caixa não pode ser muito elevada para os gatinhos pequenos;
– Se o gato sempre usa um determinado local inadequado como um banheiro, faça o lugar não ser atraente aos gatos. Os gatos não gostam de fita adesiva ou filme plástico por exemplo. Você também pode transferir a bacia ou a cama do gato para este local. Ele não vai poluir o lugar onde come e dorme.
– Tenha pelo menos uma caixa de areia pra cada gato da casa.

A Regra de Ouro

Por fim, a regra de ouro: dê real atenção ao seu gatinho. Ele certamente saberá reconhecer um carinho genuíno e retribuirá sua ação.

Alimentando seu gato – Scottish Fold / British Shorthair

A alimentação correta do seu gato – Scottish Fold ou British Shorthair -, desde filhote, é imprescindível para que ele desenvolva uma vida saudável!

Primeiro, temos que compreender que os gatos, como os demais felinos, são carnívoros. No ambiente selvagem, devoram sua presa por inteiro, incluindo pele, orgãos internos e ossos e ervas que a presa tenha ingerido. Dessa forma ele obtém o balanceamento nutricional correto.

Somente com a alimentação correta os gatos podem se previnir do envelhecimento precoce e outros males causados pela ingestão inadequada de alimentos. Qualquer mudança na alimentação, mesmo que seja só de marca de ração, deve ser feita de forma gradativa pois mudanças bruscas podem causar diarréia.

Os gatos que tem livre acesso a comida podem comer de 10 a 20 pequenas refeições diariamente. Sua dieta requer um alto nível de gordura e proteína se comparados com os cães, e doses extras dos aminoácidos taurina, arginina, cisteína e metionina.

Gatos não podem comer chocolate, porque contém ácido oxálico que impede a absorção de cálcio. Além disso contém teobromina, um alcalóide tóxico para felinos. Aliás, gatos são muito sensíveis a várias substâncias, então nunca dê nenhum alimento ou medicamento antes de consultar seus veterinário.

Mantenha sempre a higiene dos comedouros e bebedouros. Use os mais pesados para que não virem com facilidade, coloque folhas de jornal por baixo dos pratos, para evitar que deslizem e também facilitar a tarefa de limpeza. Evite o uso de comedouros e bebedouros plásticos.

Os gatos, como as pessoas, possuem gostos diferentes, é comum que alguns não aceitem alimentos que outros gatos adoram. Procure descobrir qual o alimento que seu gato mais aprecia. As preferências alimentares dos gatos irá depender do odor do alimento, textura e saúde do gato. O ambiente também influencia o apetite. Luz, barulho, presença ou ausência de pessoas ou animais, tipo de limpeza do comedouro e bebedouro, são fatores que afetam.

Não alimente seu gato em excesso. Alimentar bem não é alimentar demais. Uma boa alimentação é formada por quantidade suficiente de alimentos, com todos os elementos nutricionais necessários ao bom funcionamento do organismo dos gatos.

Os gatos têm deficiência de algumas enzimas, o que os tornam incapazes de sintetizar determinados nutrientes no organismo. Eles têm que ser fornecidos pré-formados na dieta, como a Vitamina A, o Acido Aracdônico e Taurina.

Os gatos necessitam de boa quantidade de proteínas e gorduras (carnes, peixe, aves, vegetais, soja). Precisam também de hidratos de carbono, sais minerais e vitaminas. Os gatos domésticos precisam de água fresca sempre disponível, principalmente os que se alimentam de ração seca. Já os gatos selvagens bebem pouca água. A carcaça das presas que come possuem 70% de água.

A grama (ou verde), é elemento importante na alimentação dos gatos. No ambiente selvagem, ingerem alimentos verdes junto com a presa. O verde contém vitaminas e ajuda no bom funcionamento do aparelho digestivo. Já a taurina, é um produto final do metabolismo de 2 aminoácidos. Está envolvida na formação e funcionamento da retina e nos gatos também com a formação de sais biliares. Sua deficiência resulta em degeneração da retina e cegueira. Essas alterações demoram longo tempo para ocorrer, cerca de 1 ano com uma dieta insuficiente em Taurina.

Diferente dos outros animais, os gatos não conseguem sintetizar a Taurina. Ela é encontrada em produtos de origem animal. As rações atualmente vêem com um bom suprimento de Taurina.

Ração em lata
Têm a vantagem do sabor e umidade, mas é mais cara do que a seca, contribui para a formação de tártaro nos dentes, dá mau-hálito, fezes com mau cheiro, podem ocasionar gases e fezes moles. Se estragam com mais facilidade quando deixadas no prato, e os pratos devem ser lavados todos os dias. Recomendada para animais que necessitam de reposição de líquidos, animais com inapetência.

Ração Seca
Os gatos alimentados com ração seca necessitam de mais água, têm menos tártaro nos dentes, é mais barata e deixa menos cheiro na boca e nas fezes. Os pratos permanecem limpos e a ração não estraga com facilidade e as fezes ficam firmes.

Leite
Você até pode dar pequenas quantidades de leite ao seu gato, mas atenção porque muitos gatos têm intolerância à lactose e podem ter diarréia.

Sobras de comida
Evite dar sobras da sua comida. Os alimentos para humanos podem provocar diarréias, tártaro e outros males. Além disto, não fornecem a nutrição correta.

Ossos
Não há problemas em dá-los ao seu gato, desde que sejam grandes e não soltem lascas, como os de boi. NUNCA dê ossos de galinha ou de porco.

Carne
A carne não faz mal, mas você não deve substituir a ração pela carne porque ela não possui todos os ingredientes importantes para o seu gato.

Fígado
O fígado é muito nutritivo, mas de oferecido diariamente ou em grandes quantidades pode intoxicar seu gato por vitamina A e causar diarréia.

Suplementos vitamínicos e minerais
Se seu gato tem alimentação balançeada e come ração regularmente, não precisa de suplementos.

Peixe Cru
Alguns peixes crus podem causar deficiência de Tiamina. Os peixes crus possuem Tiaminase, que destrói a Tiamina Vit B1. O calor do cozimento, destrói a Tiaminase presente na carne do peixe.

Para uma compreensão melhor sobre a melhor alimentação para o seu gatinho, sugerimos sempre consultar um veterinário de sua confiança.